Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2013

QUAL A DIFERENÇA ENTRE FÉ E SENTIMENTO RELIGIOSO?

O sentimento é assim o respeito que temos, como criaturas, por nosso Pai que está no Céu e que, unicamente porque nos criou, nos olha como filhos, nos dá o pão de cada dia, a luz de seu sol, os frutos da terra, a vida, a saúde, e mil outros bens igualmente da ordem natural. O sentimento religioso sendo natural ao homem, se encontra em todos os homens fiéis ou infiéis; pois todos têm esse fundo comum de respeito a Deus, que algumas vezes se traduz por um ato religioso fundado sobre a verdade, como entre os cristãos; outras vezes por um ato religioso manchado de erros como entre os infiéis, os idólatras, etc. Entre os povos, há alguns cujo sentimento religioso é naturalmente muito profundo, por exemplo os árabes. Um árabe não faltará à prece da manhã, à do meio dia e à da noite. Ao escutar o muezzin gritar do alto do minarete a fórmula sagrada: La Allah, etc., imediatamente ele se põe a rezar, esteja na companhia de quem quer que seja, no lugar que for, no meio de uma praça ou no trabalho;…

A SANTA MISSA NOS COLOCA EM CONDIÇÕES DE PAGAR NOSSAS DÍVIDAS E DE SATISFAZER NOSSAS OBRIGAÇÕES

No meio do Paraíso terrestre se elevava a árvore da vida (Gn II, 9): seus frutos deveriam dar ao homem uma juventude, uma força e uma beleza inalteráveis. Ela era uma imagem da verdadeira árvore da vida que se eleva no meio da Igreja, o novo Paraíso. Eis, inicialmente, a cruz de Jesus Cristo; eis também o sacrifício e o sacramento da Eucaristia, que dão a todos aqueles que o desejam a abundância da vida celeste e imperecível. Já examinamos as raízes e o caule desta árvore da vida; resta-nos estudar seus frutos, que são belos de se ver e doces de se comer. Plantada por Deus no jardim da Igreja, a árvore da vida do sacrifício eucarístico eleva sua copa aos céus e estende seus ramos frondosos sobre toda a terra, para aí deixar cair o orvalho celeste das graças.  O santo sacrifício da Missa também é uma ponte de ouro que religa a terra ao céu: a adoração e a ação de graças, como a fumaça do incenso, sobem incessantemente do altar ao trono de Deus, e as nuvens das graças e da misericórdia d…

A SANTIFICAÇÃO DOS PAIS E SEUS FRUTOS

O amor e a fidelidade juntos trazem sempre consigo a familiaridade e confiança; é por isso que os Santos e as Santas usaram de muitas carícias recíprocas em seu matrimônio, carícias verdadeiramente amorosas, mas castas; ternas, mas sinceras. Assim Isaac e Rebeca, o casal mais casto dos casados do tempo antigo, foram vistos à janela a acariciar-se de tal sorte que, embora nada nisso houvesse de desonesto, Abimelec conheceu bem que eles não podiam ser senão marido e mulher. O grande São Luís, tão rigoroso com a sua carne, como terno amor a sua mulher, foi quase censurado de ser pródigo em tais carícias: embora na verdade antes merecesse encômio por saber despojar-se do seu espírito marcial e corajoso para praticar estas ligeiras obrigações necessárias para a conservação do amor conjugal; porque ainda que estas pequenas mortificações de pura e franca amizade não prendam os corações, contudo aproximam-nos, e servem de agradável isca para a mútua conversação. Santa Mônica, estando pejada do …

QUANDO OS APÓSTOLOS COMEÇARAM A OFERTAR O SANTO SACRIFÍCIO?

Visto que Jesus Cristo, na última ceia onde ele instituiu o adorável sacrifício de seu corpo e de seu sangue, elevou todos os seus apóstolos ao sacerdócio, dando-lhes o poder de consagrar, assim como ensinam por unanimidade os Padres e os teólogos, pode-se perguntar em qual momento os Apóstolos tinham começado a fazer uso do poder que eles acabavam de receber. Eles começaram a fazer uso dele imediatamente após a ressurreição, ou somente após a descida do Espírito Santo? 

A Escritura e os antigos Padres não nos informam nada sobre este ponto. Os autores se dividem em dois campos. Uns pensam que, durante os três dias da Paixão, os Apóstolos, tristes pela morte de seu mestre e dispersos como ovelhas sem pastor, se abstiveram de celebrar o santo sacrifício; mas que, a alegria de sua ressurreição tendo feito desaparecer sua tristeza, nada se opôs mais à que eles celebrassem imediatamente o sacrifício, a fim de prestar a Deus esta suprema homenagem, seja em ações de graças pela gloriosa ress…

JESUS NO SANTÍSSIMO SACRAMENTO, NOSSO CONSOLADOR

Venite ad me omnes, qui laboratis et onerati estis, et ego reficiam vos— “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Matth. 11, 28).
Sumário. Enquanto vivermos sobre a terra, nunca nos faltarão angústias, tribulações e trabalhos; aliás ela não seria para nós um vale de lágrimas. Se, porém, quisermos sentir menos o peso das cruzes, amemos muito a Jesus, e habituemo-nos a recorrer freqüentemente a Ele no seu Santíssimo Sacramento. Imaginemos vê-lo ali coroado de espinhos, coberto de chagas, aflito e chorando a ingratidão dos homens. Unamos as nossas lágrimas com as de Jesus. Oh, quanto é doce chorar com o nosso divino Consolador!
I. Quando o nosso Divino Redentor estava na terra, convidava todos a que a Ele recorressem para serem consolados, dizendo-lhes: Vinde todos a mim. E os factos correspondiam às palavras: pois, como diz São Lucas: Jesus andou de lugar em lugar, fazendo bem e sarando a todos os oprimidos do demônio (1) — Ora, no Santíssimo Sacr…

Temos situações financeiras diferentes

As questões financeiras do casal precisam ser tratadas com importância, de forma que evite alguns desgastes no futuro ou até mesmo durante o crescimento da relação.

O maior alicerce de um relacionamento é o amor que se constrói na convivência. Entretanto os aspectos menos subjetivos também fazem parte dessa construção e devem ser considerados. Aspectos materiais, práticos e objetivos atuam em uma parte importante e se não forem cuidados podem trazer prejuízos emocionais.

A questão financeira é uma delas. Para evitar que ela seja um problema o casal tem que ter liberdade total para conversar sobre isso sempre que houver necessidade. O dinheiro não pode ser tratado como um tabu e sim um assunto aberto e transparente.

Cada um tem uma forma de se relacionar com o dinheiro. Geralmente são hábitos que vieram de família, de modelos observados e vividos. Uns tendem a economizar e serem mais cuidadosos; outros gastam sem se preocupar tanto com o futuro. Esse comportamento terá um impacto na sua v…

Seja o sal da terra

Leitura: Mateus 5.13 “Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens”.
O sal é um elemento familiar para nós, podemos usar o sal para ilustrar essa verdade de Jesus de diversas maneiras, é exatamente isso que quero me propor a conversar com vocês,
E vamos estudar a relação do sal com a terra em duas perspectivas diferentes, mas em contexto que o sal está relacionado.
1º Em química o sal é o composto iônico
Composto iônico é um composto químico, no qual existem íons ligados numa estrutura iônica, ou seja, no sal há uma atração positiva e negativa,
Desse modo o sal é um composto polar (positivo e negativo), por essa razão o sal se dissolve na água, porque a água possui moléculas dipolo, a água é um solvente, a água desintegra a estrutura sólida do sal.
Mas qual relevância disso? Jesus disse que somos o sal da terra,
Mas o que isso tem haver comigo? O sal não se desintegra na terra c…

“Jesus”, uma música incrivelmente desconhecida

Hoje, trataremos de uma curiosidade sobre uma música em particular, um pop-gospel lindo, composto e tocado por uma banda que simplesmente não existe.  Não é de autoria de uma banda evangélica, ou mesmo católica. Ficou famosa nos anos 70 por fazer parte da trilha sonora da versão original da novela “Selva de Pedra”. Seu nome é simples e poderoso: “Jesus”. Apenas isso. Não era uma constante nos anos 70 as bandas se apegarem aos nomes. Vamos contar um pouco dessa história maluca para vocês, por diversão. O músico Marcos Maynard e seu primo Can (Antonio Carlos Macedo) queriam montar um banda. A princípio seria de Bossa Nova (argh!), mas Deus os inspirou e ficou sendo uma banda de rock mesmo. Um certo Dudu França foi convidado a ser o baterista. O primeiro nome escolhido para a banda foi “Bumble Bee”, mas parece que era difícil para o público pronunciá-lo; resolveram mudá-lo para “Colt 45″. Dudu França tornou-se o vocalista. O Colt 45 chegou a tocar no programa Jovem Guarda, do Roberto Ca…