Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Como estamos criando nossos filhos?

PERCEBE-SE ATUALMENTE uma crise educativa, em nível mundial, que se torna cada vez mais preocupante em todo o mundo. De modo geral, constata-se que o nível médio de educação diminui drasticamente e que o processo formativo dos jovens enfrenta grandes dificuldades. As crianças e os adolescentes aprendem cada vez menos; a autoridade dos professores tende a desaparecer e os jovens sentem-se sós e desorientados. Isso numa época de suposto notável desenvolvimento da pedagogia. Nunca houveram tantas pessoas estudando essa ciência, e nunca tivemos tantas teorias pedagógicas como agora.
No Brasil, a crise educativa é cada vez mais preocupante, apesar de tantos eminentes pedagogos. Um estudo publicado em 2012 comparou a educação em 40 países e mostrou o Brasil, então a 6ª Economia do mundo, em penúltimo lugar na educação(!), atrás de países como Singapura (5º), Romênia (32º), Turquia (34º) e Argentina (35º)1. – Certamente, uma das causas da atual crise educativa no Brasil não é a falta de rec…

Pelos caminhos de Anchieta

Muitas pessoas fazem peregrinações para vários lugares santos. E quantos lugares santos há neste mundo! Para cada lugar uma história, um relato sobre o trajeto, os lugares que passaram pelo caminho e acima de tudo as graças alcançadas.
Porém, confesso que é a primeira vez que ouço falar sobre a peregrinação de São José de Anchieta. Refazer os caminhos percorridos por este grande santo no Brasil é algo inenarrável, especialmente se as pessoas conhecerem a história e os fatos de cada região.
Soube disso ao ler a Revista Família Cristã, edição 944 – Agosto de 2014, num artigo com o título: “Um passo de cada vez”.
Transcrevo partes do artigo:
Os Passos de Anchieta é o trajeto da trilha que padre José de Anchieta percorria nos seus deslocamentos da Vila de Rerigtiba à Vila de Nossa Senhora da Vitória
Os primeiros raios de sol ainda tímidos e suaves, na manhã de quinta-feira, 19 de junho de 2014, festa de Corpus Christi, anunciavam o início da 17ª Caminhada Oficial de Anchieta.
Em frente à Catedr…

A força dos símbolos

DOIS PRINCÍPIOS básicos, aceitos com unanimidade, balizam o trabalho das empresas especializadas em estratégias de comunicação. O primeiro diz que existem apenas dois tipos de instituição: a que já sofreu e superou uma crise e a que ainda irá passar por uma. O segundo princípio dita que as crises, se bem gerenciadas, servem para aprimorar as instituições.
A Igreja Católica, ao longo de 21 séculos de história, sofreu e teve que lidar com diversas e diferentes crises: das perseguições promovidas pelo império romano nos primeiros séculos da era cristã àquelas promovidas pelos regimes ateus e totalitários que marcaram o século 20, até o atual genocídio dos “adoradores da cruz” em países no Oriente e no continente africano com forte atuação do Estado Islâmico.
Na Europa, a crise que afeta o cristianismo tem raízes no iluminismo e é impulsionada por aquilo que o Papa emérito Bento XVI magistralmente denominou “ditadura do relativismo”. Usando a desculpa da separação entre a Igreja e o Esta…

Conheça o maior turíbulo do mundo, que "voa" a 70km/h

A invasão de "bispos" e a Sucessão Apostólica

COM O SURGIMENTO do Protestantismo Pentecostal, os fundadores de muitas denominações ditas "evangélicas" se resolveram intitular "bispos". Será que esses "bispos” pentecostais são bispos de fato ou praticam falsidade ideológica? É o que pretendemos esclarecer, de modo breve, neste artigo.

A origem da hierarquia da Igreja e a sucessão apostólica
A primeira sucessão apostólica encontramos nas páginas da Bíblia Sagrada. No Novo Testamento lemos, no capítulo 1 dos Atos dos Apóstolos, como S. Pedro declarou a vacância do posto (ministério) de Judas Iscariotes e apontou a necessidade de que alguém a ocupasse:

Naqueles dias, Pedro se pôs de pé em meio aos irmãos – o número de pessoas reunidas era de cerca de cento e vinte – e lhes disse: 'Irmãos, era preciso que se cumprisse a Escritura, em que o Espírito Santo, pela boca de Davi, havia falado acerca de Judas, que guiou aqueles que prenderam Jesus. Porque ele era um de nós e obteve um posto neste Ministério, conv…

É MISTER SOFRER TUDO PARA AGRADAR A DEUS

Caritas patiens est… omnia suffert… omnia sustinet — “A caridade é paciente… tudo sofre… tudo suporta” (1 Cor. 13, 4). Sumário. Para se tornarem agradáveis a Deus, os santos desapossaram-se de seus bens, renunciaram às mais altas dignidades da terra e acolheram como tesouros as enfermidades, as perseguições, e despojamento de tudo, e a morte mais dolorosa e triste. E que fazemos nós para um fim tão sublime? Ó miséria! Recusamo-nos até a sofrer com paciência um leve incômodo, uma pequena contrariedade, um desprezo, uma palavra mordaz. Quão diferentes dos santos somos nós! I. A maior preocupação, para não dizer única, dos santos foi: desejarem com todo o afeto sofrer por amor de Deus todo o trabalho, todo o desprezo e toda a dor a fim de tornarem-se desta sorte agradáveis ao Coração divino que tanto merece ser amado e tanto nos ama. — Com efeito, toda a perfeição e todo o amor de uma alma para com Deus consiste em sempre procurar o agrado de Deus e fazer o que mais Lhe agrada. Ó feliz de …

A negação de Pedro

Como esse drama da Paixão ajuda a comprovar a historicidade dos EvangelhosPor Vittorio Messori A curiosa questão do “galo”
Os quatro evangelistas trazem a célebre predição, mas aqui escolhemos a versão de Marcos que, logo depois da Última Ceia, continua assim: “Depois de cantarem os Salmos, saíram para o Monte das Oliveiras, Jesus lhes disse: ‘Vocês ficarão desorientados, porque está escrito: Ferirei o pastor e as ovelhas se dispersarão. Mas, depois da minha ressurreição, eu irei antes de vocês para a Galileia’. Pedro lhe disse então: ‘Ainda que todos fiquem desorientados, eu não ficarei!’ Disse-lhe Jesus: ‘Eu lhe afirmo com todo certeza: hoje mesmo, nesta noite ainda, antes que o galo cante duas vezes, você me terá negado três vezes’. Mas ele dizia com muita insistência: ‘Mesmo que eu tenha que morrer contigo, não te negarei!’ E todos diziam o mesmo. Chegaram eles a um lugar chamado Getsêmani…” (Mc 14, 26–32). Há uma razão precisa para termos trazido o fato na versão do segundo evan…